SUZANA MARIA DE SOUZA VIEIRA

São Paulo, SP

Membro desde: 06/05/2016

9 POSTS
75 VOTOS

Sobre:

Sou graduada pela Faculdade de Medicina da UFPE e completei minha formação na USP com Residência Médicas em Clínica e Endocrinologia até o Doutorado. Atualmente atendo como Endocrinologista no SUS em ambulatórios de especialidade e faço parte Conselho Gestor do AMA Santa Cecília. Colaboradora no movimento Slow Medicine Brasil

Formação:

Graduação: UFPE; Residêcias Médicas e Doutorado pela USP

A dose faz o veneno

“A dose faz o veneno” é uma famosa frase atribuída a Paracelso, médico no século XVI e considerado o pai da toxicologia. Todos os elementos químicos, incluindo a água e oxigênio, podem ser danosos ao organismo quando em excesso. Esse princípio rege as concentrações máximas aceitáveis para quase todas as coisas que consumimos, inclusive medicamentos. […]

Vitamina D: sem pressa de prescrever

No post mais recente do Portal do Slow Medicine, comento sobre como aos valores de normalidade da dosagem de vitamina D foram definidos e como vem mudando ao longo do tempo, bem como a ampliação das indicações podem configurar um caso de Disease Mongering – mercantilização da doença – é um termo utilizado para aumentar as […]

É necessário reclassificar o diabetes em cinco tipos ao invés de dois?

O estudo publicado  publicado online em 1º de março na revista Lancet Diabetes & Endocrinology, pretende novas implicações para diagnóstico e tratamento do diabetes ao classifica-lo em cinco categorias. O diabetes é atualmente classificado em dois grandes grupos: diabetes tipo 1 e tipo 2, mas o diabetes tipo 2 é bastante heterogêneo. A ideia principal seria […]

Movimento pelo resgate da humanização – Slow Medicine

O meu primeiro post publicado na RHS foi sobre prevenção quaternária. Nele cito o movimento Slow Medicine, que tem como um dos seus princípios o uso parcimonioso da tecnologia. Mas esse não é o único e nem o principal princípio, inclui também a valorização da relação médico-paciente, o uso ponderado da tecnologia diagnóstica e terapêutica, as […]

Revisitando o risco de malignidade nos nódulos de tiroide

Dando sequência a discussão de sobre o sobretratamento e sobrediagnóstico nos cânceres de tiroide, trago uma recente publicação que redimensiona o risco de malignidade nos resultados de punção do nódulo. A reclassificação de um tipo de tumor de tiroide – antes considerado como maligno para benigno no ano de 2016 –  motivou uma nova publicação […]

Modulação, regulação e eixos hormonais

(Infelizmente, não consegui carregar as figuras, mas você pode conferi-las no post original). Nos estudos preparativos para esse post, deparei-me com um subtítulo do primeiro capítulo de um livro de endocrinologia básica que tenho em minha prateleira. O subtítulo em inglês é “modulation of hormones levels” em tradução livre: níveis de modulação hormonal.  Definitivamente, esse […]

Vigilância ativa no câncer de tiroide

Recentemente, ouvi de um professor que temos atualmente uma “geração de mulheres tiroidectomizadas” – submetidas à retirada cirúrgica da tiroide. Esse curiosa e triste constatação em parte é explicada pelo excesso de diagnóstico e de tratamento – sobrediagnóstico e sobretratamento (overdiagnosis e overtreatment). Conceitos relativamente novos surgem juntamente com esses fenômenos, como prevenção quaternária abordada […]

Câncer de tiroide e overdiagnosis: não se recomenda o rastreamento desse tipo de câncer em pessoas sem sintomas

Raras são as semanas em que não aparece um novo paciente que teve um diagnóstico de câncer de tiroide no consultório do endocrinologista, sem falar nas pessoas que são do ciclo de amigos ou família que tiveram também esse diagnóstico. Nos últimos 10 anos tem se observado um aumento da incidência em 4,5% ao ano […]

Por que falo tanto de exames complementares no meu blog?

Compartilho aqui a publicação mais recente do meu blog. É uma reflexão sobre as motivações que me levaram a escrever em boa parte sobre interpretação e uso racional de exames na prática médica. Segue o texto:   Esse é um dos poucos textos, ou melhor, o primeiro post que escrevo em primeira pessoa. Nele, tento […]