Você já bateu em algum profissional de saúde hoje?

8votos

Ontem a tarde, recebi várias ligações e como sempre deixo o celular no silencioso enquanto trabalho, não atendi nenhuma. Então recebi 05 áudios pelo Whatsapp do vice-presidente da Associação de Recuperação pelo Trabalho-REPART formada por usuários dos Serviços Organizados de Inclusão Social-SOIS de Joinville.

Nos áudios os usuários me pediam ajuda para fazer uma denúncia ao Conselho Municipal de Saúde pois o terapeuta ocupacional da manhã está para ser transferido sem reposição, e com isso a oficina de rádio iria acabar, outras atividades seriam interrompidas e o atendimento seria prejudicado pois os demais profissionais do serviço seriam sobrecarregados.

O detalhe é que ao fundo do primeiro áudio pude perceber uma voz feminina repetindo ao usuário aquilo que ele deveria me dizer.

Lamento que os usuários nem mesmo no SOIS estejam suficientemente instrumentalizados para exercer controle social de forma autônoma, sem que uma voz  que os controle ao fundo da ligação.

Falei com o secretário de saúde por mensagem e ele me disse que acharia uma solução.

Em ligação telefônica com a Gerente de Serviços Especiais de Joinville, ela me explicou que a carga horária do terapeuta ocupacional seria reduzida no SOIS para que ele pudesse auxiliar na Residência Terapêutica onde as profissionais estão apanhando dos usuários e como ele é homem poderia auxiliar nessa situação.

Eu argumentei que se os profissionais não tiverem o manejo adequado com os usuários, de nada adianta aumentar o número de Terapeutas Ocupacionais no serviço.

—–

Por e-mail fiz a denúncia ao Conselho Municipal de Saúde nesses termos:

Boa tarde,

Fui informado por usuários do SOIS-Serviços Organizados de Inclusão Social de que o Terapeuta Ocupacional Rogério Amâncio Lotado nessa unidade está para ser afastado de suas atividades nesse serviço sem reposição.

Os usuários reclamaram que caso isso ocorra a oficina de rádio iria acabar e que o período da manhã seria prejudicado sem a devida reposição de outro TO no serviço e no mesmo horário.

Solicito que essa situação seja verificada junto á Coordenação competente na Secretaria Municipal de Saúde, que se possível o quadro de servidores do SOIS seja mantido como está com a presença do servidor Rogério Amâncio na equipe ou que outro Terapeuta Ocupacional seja lotado no SOIS para dar continuidade aos projetos desenvolvidos.

Sugiro que a CAE (Comissão de Assuntos Externos) visite o SOIS para verificar pessoalmente a situação

Solicito confirmação de recebimento e aguardo resposta com a maior brevidade possível. 

Atenciosamente

Raphael Henrique Travia

Segundo o trâmite o CMS tem até 30 dias para me enviar uma resposta formal, então disse aos usuários a fazerem suas próprias denúncias mesmo que baseadas no meu texto e outras duas ações possíveis:

1- Formar uma Comissão com os membros da REPART e agendar um horário para conversar pessoalmente com o Secretário Municipal de Saúde;

2-Ir na próxima reunião do Conselho Municipal de Saúde em 27/08/2018 e pedir uma inclusão de pauta para falar sobre essa questão;

Lamento que a Rede de Atenção Psicossocial de Joinville esteja tão enfraquecida e sucateada que ao invés do manejo e da capacitação, precise de uma presença masculina para que as profissionais parem de “apanhar”

E o que é apanhar no contexto da atenção á crise: Agressão ou acidente de trabalho?

Existem infinitas formas de cuidar em liberdade, e apenas uma velha forma de prender e reprimir…

E você já bateu em algum profissional de saúde hoje?