Segurança em equipamentos de saúde.

10 votos

Muito embora seja necessário "segurança" nos equipamentos de saúde, como de resto, em qualquer instituição, já que por vezes, na atualidade se está exposto a uma série de situações, penso que é preciso entender que situações de exposição são essas. É do "conflito" entre usuários e trabalhadores que estamos falando ou de uma situação vivida pela sociedade, onde a criminalidade de fato tem aumentado?
A primeira situação não me parece ser caso de policia, nem mesmo de retaliação, mas entendimento do processo de trabalho e da qualificação da gestão e da assistência, enfim, uma complexidade que não passa pela beligerância. A segunda situação pode exigir alguma vigilância, até para a garantia de usuários e trabalhadores. Entretanto essa já é uma questão que exige uma abordagem em níveis muito mais amplos (social, econômico etc.). Mas penso que não se trata de combater violência com mais violência,  o que muitos defendem com a enunciação da "tolerância zero".
De forma que, noticias com a de Campo Grande (ver matéria abaixo), acabam sendo bastante preocupantes, na medida em que, mal explicadas ou confusas, enunciam condições que só tendem a piorar a situação já vivida de insegurança, tanto dos trabalhadores como dos usuários.

Altair Massaro

A Matéria:

Nelsinho quer policiais armados para “atirar”?

 

Na avaliação do prefeito Nelsinho Trad (PMDB), a presença de policiais militares nos postos “é muito necessária” agora. “A situação não está para brincadeira, precisamos de uma solução para isso”, diz. Atualmente, os postos não têm agentes de segurança armados. Há apenas os agentes patrimoniais que zelam pelo local. “Eu fiquei muito preocupado, precisamos estabelecer uma agenda urgente para segurança nos postos de saúde”.

 

O blog aconselha que ao invés de policiais armados, a Prefeitura de Campo Grande deve sim é aumentar o número de médicos e demais funcionários.

Só assim acaba o caos em que vive os postos de saúde da capital.

A não ser que os policiais também vão realizar atendimento médico e não atirar em pessoas inocentes que vão aos postos em busca de atendimento e não pára morrer.

FONTE:http://www.midiamaxnews.com.br/nilsonpereira/