PIAUÍ EXPANDE REDE HUMANIZASUS

8votos

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE EM TERESINA SE ENGAJA NA POLÍTICA DE HUMANIZAÇÃO DO SUS

 

O município de Teresina na condição de gestão plena e com uma ampla rede de serviços que atende o usuário do SUS, independente de raça/etnia, condição social e local de residência, necessita de pleno engajamento na Política Nacional de Humanização – PNH, visando garantir um atendimento acolhedor, solidário e resolutivo para todos os usuários do SUS!

Motivados por esses propósitos, uma equipe da Fundação Municipal de Saúde – FMS, deu os primeiros passos rumo à constituição da Política de Humanização no SUS Teresina. Com o apoio  do Comitê Estadual de Humanização, coordenado pela Psicóloga Ana Maria Eulálio, e da Consultora do Ministério da Saúde para o Estado do Piauí, Annatália Gomes, foi realizada nos dias 19 e 20 de junho de 2008 a Oficina de Sensibilização: construindo a Política de Humanização em Teresina. O objetivo do encontro foi sensibilizar 35 trabalhadores, gestores e gerentes para a elaboração da Política Municipal de Humanização e criar as bases para a formação do coletivo municipal.

O clima do encontro foi bem descontraído, começando com as boas vindas de Dra. Amariles Borba, Assessora do Secretário Municipal de Saúde e Maria Vieira, enfermeira da FMS que coordenou o evento. A programação constou de momentos de apresentação e integração das equipes, construção do conceito de humanização pelos participantes – Profa. Lúcia Vilarinho, apresentação dos caminhos percorridos pela Política Estadual de Humanização – Ana Maria Eulálio, discussão sobre as diretrizes, método e princípios da PNH por Annatália Gomes e dispositivos da Política trabalhados em roda de conversa por apoiadores e membros do comitê estadual de humanização: Gestão Participativa e Co-gestão – Lourival – Administrador da Maternidade Evangelina Rosa; Valorização do Trabalho/Trabalhadores da Saúde – Psicóloga Mirna; Acolhimento e Acolhimento com Classificação de Risco – Psicóloga Fabiola Chaves; Ambiência – Psicóloga Soraya Pessoa.

A apresentação dialogada do  SUS no município de Teresina, perspectivas e desafios, possibilitou a todos os participantes se inteirar do histórico do SUS, situação atual do município e qual a visão dos gestores sobre esse processo. A partir destas discussões, trabalhamos em pequenos grupos as oportunidades e ameaças à implantação da política, tendo o grupo traçado um cenário favorável a esta proposta (Quadro I). A análise dos pontos fortes e fracos colocou o grupo em análise do cenário interno e suas perspectivas. Os participantes apontaram o acolhimento, a ambiência e a gestão participativa como as principais diretrizes  e  caminhos a serem trilhados pelo município no desenvolvimento da política de humanização. Finalizamos com a construção da árvore de compromissos onde cada pessoa anunciou no que se engajaria enquanto ação concreta na proposta e posteriormente com uma avaliação sobre o encontro.

A partir de uma maior compreensão da PNH por todos, torna-se possível tomar decisões e definir a composição de um comitê municipal para disparar os processos de capacitação e gestão dos processos de trabalho. O próximo passo se refletirá em novo encontro para definição das estratégias e plano de ação para o município de Teresina. Um acontecimento  importante  a ser registrado é que esta adesão à política ocorre em momento bastante oportuno quando um novo hospital municipal recém construído, assumirá o tratamento das emergências em Teresina. Pela aposta na rede de conexões entre as pessoas e animados pela vontade de ver o SUS se fortalecer enquanto política pública, foi possível trabalharem juntos, profissionais que integram esferas diferentes do sistema, de partidos políticos  distintos, em prol do incremento de uma atenção digna a todos os usuários do sistema.

 

As fotos em anexo são da mesa de abertura do evento, dos trabalhos em grupo e a terceira,  de todos os participantes, expressando a participação do grupo envolvido: no fundo as inscrições rupestres da Serra da Capivara – PI, une o passado primitivo a um jeito de fazer atual, ambos, povos pré-históricos e civilizados, construindo a história humana.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



DIV class=shape style="PADDING-RIGHT: 7.2pt; PADDING-LEFT: 7.2pt; PADDING-BOTTOM: 3.6pt; PADDING-TOP: 3.6pt" v:shape="_x0000_s1026"

De tudo três coisas:A certeza de estarmos sempre começando
De que é preciso continuar
De que podemos ser interrompidos
antes de terminarmos,
Fazer da interrupção um caminho novo,
Da queda um paço de dança,
Do medo uma escada,
Do sonho uma ponte,
Da procura um encontro
Fernando Sabino

 

AMEAÇAS

OPORTUNIDADES

Gestão pouco participativa

 

Falta de financiamento próprio para humanização

 

Falta de qualificação para trabalho no SUS

 

Falta de  trabalho em equipe

 

Ausência da humanização como disciplina na formação acadêmica dos profissionais

 

Não envolvimento do gestor e não comprometimento do colaborador da saúde e usuário (controle social)

 

Mudanças nas prioridades ministeriais

 

Cultura do serviço público

 

Política partidária

 

Exclusão social

Qualificação contínua dos profissionais e gestores

 

Descentralização da atenção à saúde

 

O conhecimento sobre a PNH e sua multiplicação

 

O planejamento  e execução das estratégias e ações

 

A adesão do município à política

 

Organização do SUS

 

Meios de comunicação

 

Parcerias (Estados, Municípios etc)

 

Padrão elevado de Assistência à Saúde no PI

 

Maior divulgação dos direitos dos usuários

 

Melhoria nas condições de trabalho e prestação de serviço

Quadro I – Oportunidades e ameaças à implantação da PNH no município de Teresina. Teresina, jun.2008.