A experiência do IV Encontro Multidisciplinar da UTI Neonatal do HRS

8votos

Parte da equipe da UTI Neonatal do HRS e das famílias de bebês atualmente internados na unidade

Detalhes da decoração

Encerramento com a participação dos pais

Olá amig@s da RHS!

Com atraso de quase um mês, mas não com menos alegria, compartilho com os parceiros de ideais da RHS a experiência do IV Encontro Multidisciplinar da UTI Neonatal do Hospital Regional do Sudoeste (HRS), de Francisco Beltrão-PR, por sugestão da querida Emília.

Pelo quarto ano consecutivo a UTI Neonatal da instituição realiza esse evento voltado para profissionais e estudantes da área da saúde. O objetivo é promover discussões técnico-científicas de temáticas relevantes para a melhoria da assistência aos neonatos. O foco de divulgação do evento é sempre sobre a importância da participação de profissionais da assistência direta, sobretudo, médicos e enfermeiros e de gestores de Francisco Beltrão e dos demais municípios da região. Como esta é a única unidade de tratamento intensivo neonatal da 8ª Regional de Saúde do Paraná, a qual abrange um total de 27 municípios, não raro, bebês nascem em municípios da região e, posteriormente, são encaminhados para o HRS para cuidados intensivos. Isto requer dos profissionais de serviços de saúde dos pequenos municípios o manejo adequado do recém-nascido até este chegar à UTI Neonatal, local ideal para seu tratamento.

Sempre procuramos, também, intensificar a divulgação dentro do próprio hospital, visando estimular a participação principalmente de profissionais da UTI Neonatal e Maternidade/Alojamento Conjunto, bem como dos setores da Emergência e Centro Cirúrgico. A necessidade de integração desses dois últimos setores específicos deve-se ao fato de que, muito frequentemente, bebês permanecem nesses ambientes à espera de uma vaga em UTI Neonatal. Com um total de 10 leitos numa regional de 27 municípios, é de se esperar que a oferta esteja infinitamente aquém da demanda. Assim, muitos bebês permanecem sob os cuidados dessas equipes até serem transferidos para a UTI Neonatal do HRS ou para outros hospitais do estado, revelando um penoso drama vivenciado por inúmeras famílias.

Daí a importância de capacitar as equipes, visando a manutenção da qualidade de assistência. Nessa edição, trabalhamos a necessidade premente de prevenir a ocorrência de incidentes e eventos adversos, no sentido de alertar profissionais, futuros profissionais e gestores sobre a responsabilidade e compromisso de todos os envolvidos na assistência quanto aos danos evitáveis. O recém-nascido encontra-se num período crítico, no qual influências ambientais negativas ou imperícias no cuidado podem comprometer o seu desenvolvimento global futuro. As palestras com especialistas da área contemplaram: “Perfil dos Incidentes Adversos na UTIN”, com a neonatologista Kenny Matos Rosa; “Rotinas Assistenciais na UTIN”, com a enfermeira Vanessa Viana; “Importância dos Protocolos para a Segurança do Neonato”, com a enfermeira Eliane Sanches Maziero; “O Reequilíbrio Toracoabdominal em Neonatologia”, com a fisioterapeuta Camila Ramos; “Aspectos Neurocirúrgicos da Hemorragia Ventricular”, com o neurocirurgião pediátrico Carlos Frederico Rodrigues; “Retinopatia da Prematuridade”, com o oftalmologista retinólogo Alessando Verona e; “Prevenção de Eventos Adversos/IRAS em UTI Neonatal”, com a enfermeira Maria Helena Werlang. Para marcar o encerramento do evento foi exibido um vídeo que produzimos com os emocionantes relatos de pais que estavam enfrentando, na ocasião, a experiência de terem seus bebês na unidade. Após a exibição, os pais presentes adentraram o auditório segurando corações de papel e se dirigiram até a frente da plenária, onde receberam o carinho dos participantes.

A preocupação em tratar de assuntos relevantes para a melhoria da assistência neonatal sempre vem acompanhada do envolvimento profissional, mas também afetivo de todos os membros da equipe. Este é um importante diferencial que destaca o setor como uma importante e significativa via de humanização em saúde na nossa região. Não é por menos, portanto, que a UTI Neonatal do HRS é tratada e considerada com tanto carinho por toda a comunidade. O evento foi organizado e promovido pela equipe multidisciplinar da unidade, com o apoio da Comissão de Humanização do HRS e do Comitê de Qualidade e Segurança do Paciente da instituição.

Esta é parte da programação científica anual da unidade, a qual contempla, ainda, programa interno de educação continuada, voltado para as diferentes categorias profissionais. São realizadas reuniões multiprofissionais diárias para a discussão dos casos, mensais (ou bimestrais) e/ou pontuais para o planejamento de ações e/ou capacitação das equipes do setor. Além do aspecto científico, prezamos por atividades direcionadas à acolhida e envolvimento das famílias no processo, sobretudo, das mães, as quais participam ativa e intensamente, do cotidiano da UTI Neonatal. Promovemos reuniões semanais e um encontro anual das famílias de crianças que já permaneceram internados na unidade. Mas isso já constitui pauta para um novo post…rsrsrs 😉

PS: Infelizmente não consegui anexar outras fotos, além da foto-destaque!