Estudantes do Curso de Medicina da UNOESTE participam da Campanha Nacional contra Hanseníase, Verminoses e Tracoma em dois municípios do interior Paulista

6votos

A Faculdade de Medicina da UNOESTE utiliza Metodologias Ativas de Ensino-Aprendizagem como a Problematização e insere seus estudantes desde o primeiro termo, em 7 ESFs do interior Paulista. Os acadêmicos fazem parte das equipes interdisciplinares das ESFs. Eles participam das Reuniões de Equipe semanalmente e capturam as necessidades de saúde da comunidade adscrita ao território das ESFs. Orientados pelos Facilitadores, criam Planos de Ação, a partir dos desafios que emergem da epidemiologia local. No primeiro semestre do ano letivo de 2018, os acadêmicos se dedicaram ao Eixo da Educação em Saúde, proposto pelo MEC a partir das Diretrizes Curriculares Nacionais de 2014. Alicerçado na Intersetorialidade, o Plano de Ação envolveu as Secretarias da Saúde e da Educação dos Municípios de Presidente Prudente e Álvares Machado e as Rodas de Conversa aconteceram em escolas públicas dos dois municípios.  Estudantes entenderam a necessidade de levar informação em Saúde para jovens brasileiros em situação de vulnerabilidade social e elevado risco de adoecimento para as doenças citadas. A ação teve como público-alvo os escolares de 11 a 14 anos de idade, matriculados no ensino fundamental. O objetivo foi: esclarecer sobre os sinais e sintomas e ensinar os adolescentes a se proteger dessas doenças, favorecendo o diagnóstico precoce e o tratamento imediato. Durante a Campanha, foi realizada busca ativa de casos novos de hanseníase e exame dos contatos e profilaxia para as geo-helmintíases. Os acadêmicos esclareceram os escolares a respeito da Hanseníase, doença infecciosa causada pela bactéria Mycobacterium leprae, que atinge principalmente a pele e os nervos de pessoas de qualquer sexo, idade ou classe social. Se não for tratada, a doença pode causar diversas deformidades pelo corpo. As verminoses foram abordadas como infecções causadas por parasitas que se instalam no interior do corpo. As verminoses foram consideradas pelos acadêmicos como potenciais causadoras de dores abdominais, diarreias frequentes, anemia, palidez excessiva, perda de peso, barriga inchada e sangramentos intestinais. Os Facilitadores participaram das Rodas de Conversa e complementaram que entre as crianças, pode haver dificuldade de aprendizagem e retardo no crescimento. Em relação ao Tracoma; na Roda de Conversa, foi considerado como  uma doença bacteriana que acomete os olhos. Se não for tratada, pode prejudicar a visão e causar cegueira. Os futuros Profissionais de Saúde explicaram que os olhos das pessoas afetadas pelo Tracoma podem apresentar vermelhidão, lacrimejamento, coceira, irritação, secreção, sensação de corpo estranho e intolerância à luz. Em alguns casos, não há manifestação de sintomas. Após as Rodas de Conversa com os escolares, os Facilitadores e Acadêmicos do Curso Médico se reuniram com os Professores da Rede Pública para avaliar o alcance da execução do Plano de Ação.
Os participantes, Acadêmicos, Facilitadores, Professores da Rede Pública de Ensino, Escolares e membros das Equipes das ESFs consideraram como positiva a ação de Promoção à Saúde desenvolvida nos territórios das ESFs.