Facilitadores do Programa de Aproximação Progressiva à Prática (PAPP/UNOESTE) orientam professores da Rede Municipal de Ensino de Presidente Prudente sobre a infância cada dia mais curta.

7votos

A Faculdade de Medicina da UNOESTE tem uma parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Presidente Prudente. Periodicamente são realizadas ações de Educação em Saúde para Multiplicadores, que fazem parte do Programa Saúde na Escola. A Intersetorialidade alicerça a parceria Academia-Serviço entre a UNOESTE, a Secretaria de Educação e a Secretaria da Saúde do Município de Presidente Prudente.
Na atualidade, a infância se torna cada vez mais curta, sendo alvo do ataque de músicas, filmes, danças e roupas com conteúdo erotizado, que torna crianças e pré-adolescentes organicamente mais amadurecidos, apesar do estado psicológico não acompanhar este ritmo. A falta de diálogo familiar, associada ao acesso às mídias, faz com que esses pequenos, diante de problemas, possam buscar a droga, o álcool ou a atividade sexual.
Com a frágil censura, a exposição e a banalização do sexo nas mídias se tornam constantes. A média de maturação sexual aos 10 anos não deve reduzir mais porque está na linha limite, mas a idade do primeiro beijo tem caído. Crianças de 5 anos ou menos se beijam porque veem na TV e querem experimentar.
Na fase de experimentação, o início do diálogo o quanto antes sobre responsabilidades e respeito a si e ao próximo é importante. Os pais se desesperam, criticam, proíbem, castigam, o que só afasta o filho. Há recursos para que ele faça escondido, até como afronta. Não que ele deva ser estimulado, mas orientado. Não podem deixar que se informe só pela internet e com amigos. Houve uma mudança radical nas condutas sociais e os adultos não estão preparados para crianças tão bem informadas.
Professores também têm papel importante na orientação das crianças e pré-adolescentes em relação à Educação em Saúde Reprodutiva.
Facilitadores do PAPP organizaram uma Roda de Conversa com Professores da Rede Pública de Educação no território da Estratégia Saúde da Família (ESF), relacionada a alterações comportamentais na infância.
Os participantes consideraram como produtiva a Ação de Educação em Saúde para Multiplicadores no território adscrito à ESF, pois neste momento riquíssimo de ”trocas” são estabelecidas orientações sobre o desenvolvimento infantil a equipe e familiares.

Elaine Fernanda Dornelas de Souza, Psicóloga da equipe do PAPP/FAMEPP -UNOESTE- Presidente Prudente