Piauí presente no Projeto AcolheSUS

12votos

 

 

 

 

 

 

 

Relato de atividade do GEE

No dia 19/02/2018  ocorreu  na SESAPI o encontro do Grupo Executivo Estadual (GEE),  instituído através da portaria nº 231/2018,  que tem como objetivo apoiar e assessorar o processo de implantação/implementação do Projeto AcolheSUS  no âmbito do Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA), unidade de saúde priorizada para servir de piloto para o projeto no Estado do Piauí.

Ana Maria Eulálio, coordenadora do DUCARA e do Comitê Estadual da Política de Humanização da Atenção e Gestão em Saúde no Piauí, inicialmente fez um resgate da trajetória da Política de Humanização da Saúde no estado, ressaltando os avanços e os desafios enfrentados e a importância do apoio institucional nesse processo. Na sequência foi apresentado o Projeto AcolheSUS: objetivo, justificativa de escolha do HEDA como campo de atuação, ofertas do MS, compromissos, propostas de intervenção,  composição dos grupos gestores estadual (GEE) e local (GEL) e  contratualização com os entes diretamente envolvidos: Ministério da Saúde/SESAPI e HEDA. A perspectiva da implantação da experiência no HEDA é fortalecer a humanização da saúde nas portas de entrada do SUS (serviços de urgência).

Com o apoio de  Ailana Lira, referência técnica do Ministério da Saúde, o coletivo de trabalhadores do HEDA tem disparado alguns movimentos em nome da melhoria das práticas de produção de saúde, dentre eles, a primeira oficina do Projeto AcolheSUS, realizada no dia 17 de novembro de 2017, que além da equipe gestora, de profissionais do HEDA e de técnicos da SESAPI, contou com a presença de Florentino Neto, Secretário Estadual de Saúde.

Iolí Piauilino, apoiadora da Política Estadual de Humanização-PEH/PI, falou da experiência de conhecer  a estrutura  física do HEDA em visita guiada com a participação da Ailana e profissionais daquele serviço,  para observação da rotina do hospital e escuta dos trabalhadores, oportunidade em que foram detectadas muitas fragilidades no fluxo de atendimento do hospital. Lourival Oliveira falou da realização do diagnóstico situacional do HEDA que vai subsidiar as ações interventivas do projeto.

Jesus Dias, Gerente da Educação Permanente em Saúde apresentou duas demandas de revitalização de Grupos de Trabalho de Humanização no HEMOPI e no Hospital de Doenças Tropicais Natan Portella e solicitou o apoio do Comitê Estadual de Humanização.

Emília Alves, Coordenadora do Colegiado Gestor do HILP e editora da RHS,  falou da rede como um potente espaço de compartilhamento das experiências do “SUS que dá certo”, e da importância do compartilhamento das ações do Projeto AcolheSUS para visibilidade e para  inspirar outros territórios de saúde.

Tatiana Chaves, Diretora de Vigilância Sanitária relatou alguns esforços de sua área técnica junto ao HEDA, notadamente no que diz respeito à saúde do trabalhador e à implementação de medidas  para o controle de riscos aos pacientes, porém reconhece que há muito ainda por fazer, inclusive institucionalizar os protocolos.

No dia 28 do mês em curso será realizada uma vídeo conferência sobre o Projeto AcolheSUS para alinhamento dos feitos e planejamento dos próximos passos.

Dentre as ações pactuadas, vale destacar: análise do diagnóstico situacional do HEDA; realização da II Oficina do Projeto AcolheSUS em Parnaíba nos dias 19 e 20/03/2018; estudo  do Manual de Acolhimento de Classificação de Risco nas Urgências do Piauí (pelos grupos local e estadual, envolvendo os trabalhadores da porta de entrada do hospital).

Pela memória, Emília Alves, Editora da RHS e Iolí Piauilino, Apoiadora da PNH/PI