Plano de Ação a partir da Problematização para Promoção à Saúde de gestantes no interior paulista

9 votos

Introdução:

De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) propostas pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC), no ano de 2014, as Escolas Médicas devem, preferencialmente, utilizar Metodologias Ativas de Ensino e Aprendizagem como a Problematização.

A Epidemiologia deve guiar a construção de Ciclos Pedagógicos orientada por Facilitadores que estimulam a criação de Planos de Ação no Território no qual devem se inserir como membros da Equipe Interdisciplinar de Saúde.

Estudantes inseridos em uma ESF do interior Paulista valorizaram a Política Pública de Promoção à Saúde de Gestantes e construíram um Plano de Ação a partir das Necessidades de Saúde encontradas no território adscrito à Estratégia Saúde da Família (ESF).

Objetivo:

Importância da utilização de Planos de Ação que emergem da Metodologia Ativa denominada Problematização de acordo com DCNs 2014, propostas pelo MEC, para gestantes do território adscrito à ESF.

Relato de experiência:

O Programa de Aproximação Progressiva a Prática (PAPP) insere o acadêmico de Medicina nas Estratégias de Saúde da Família (ESFs) desde o início do Curso.  Os acadêmicos participam de reuniões de equipe com frequência semanal nas quais podem capturar as necessidades de saúde da comunidade. Em uma das reuniões os estudantes perceberam a necessidade de atualizar as cadernetas das gestantes da Unidade. Nas ESFs são realizadas visitas domiciliares para acompanhar a saúde das pessoas. Dessa maneira, na ESF PRIMAVERA, os estudantes visitaram a casa de uma gestante que estava na trigésima semana de gestação e a orientaram a respeito da importância em se fazer o pré-natal.

Em visita domiciliar a uma gestante foram feitas orientações de grande relevância, sobre os direitos antes e depois do parto, marcações de consultas e exames, dicas para uma gravidez saudável, orientações sobre a gestação e o desenvolvimento do bebê, parto e o pós-parto, amamentação, dentre outros cuidados, incluindo o pré-natal do parceiro. Além disso, foi informado que o preenchimento correto da caderneta auxilia na criação de ambientes saudáveis no território da ESF. Os acadêmicos tiveram a oportunidade de explicar à gestante que caso ela ou o bebê necessitem de algum atendimento de emergência, o profissional de saúde poderá analisar as informações registradas anteriormente e agir com segurança. Após o nascimento da criança, o grupo de estudantes visitou novamente a família e orientaram a mãe para acompanhamento da puericultura.

Conclusão:
Os acadêmicos de Medicina do PAPP juntamente com a equipe interdisciplinar da ESF, conseguiram colocar em prática a assistência de forma humanizada à usuária do SUS. Com essa troca de informações e estudos entre os tutores e aprendizes, fica claro que, ao fazer visitas domiciliares nos territórios das ESFs, os estudantes conseguem informar cada vez mais as famílias, como foi o caso da gestante em que foi informada sobre a importância da caderneta da gestante.

Referências:
Acesso e qualidade da atenção pré-natal na
Estratégia Saúde da Família: infraestrutura,
cuidado e gestão. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v33n3/1678-4464-csp-33-03-e00195815.pdf

Consulta em 16 08 2018, às 23h 42min.