Saúde de Rio Preto ganha prêmio em Congresso do SUS

6votos

O trabalho da Secretaria de Saúde de Rio Preto na área de saúde mental ganhou o 8º Prêmio David Capistrano no 32º Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo (Cosens), realizado em Rio Claro, nos dias 18, 19 e 20 de abril. Outro trabalho rio-pretense, sobre Atenção Farmacêutica, foi selecionado para apresentação na etapa nacional do congresso, assim como o trabalho premiado.

O congresso é realizado anualmente com o objetivo de promover debates, reflexões e encaminhamentos que envolvam a troca de experiências, diálogo e comunicação entre os 645 municípios paulistas. Nesta edição, o tema do congresso foi “30 anos de SUS: SUStentabilidade para garantia do Direito à Saúde – Aumento do financiamento federal e estadual”.

Dos 680 trabalhos inscritos, 120 foram selecionados para apresentação, dos quais 10 receberam prêmio, 10 receberam menção honrosa e outros 20 foram selecionados para serem apresentados na etapa nacional do congresso. Rio Preto enviou 11 trabalhos, dos quais 5 foram apresentados: “A Saúde Mental na Atenção Básica – um desafio possível”; “O uso de indicadores no monitoramento nos processos de assistência farmacêutica no município de São José do Rio Preto”, “Parcerias exitosas em saúde bucal – sorriso é coisa séria”, “Implantação de curso a distância para professores do Ensino Fundamental – uma estratégia intersetorial de combate à obesidade infantil” e “Promoção de integralidade dos cuidados para doenças crônicas transmissíveis e otimização de recursos públicos – uma parceria que deu certo”.

Os 40 melhores de todo o congresso serão publicados em livro, a ser distribuído na edição do ano que vem. Em julho deste ano, a Saúde também deverá representar o município, com a apresentação dos dois trabalhos, em Belém (PA), no Congresso de Secretarias Municipais (Conasens), entre os dias 25 e 27 de julho.

 Conheça os trabalhos selecionados para o Conasens:

“A Saúde Mental na Atenção Básica – um desafio possível” – O município de São José do Rio Preto iniciou em 2014 a reorganização da gestão do cuidado em saúde mental, com uma proposição de trabalho transversal entre seus diferentes departamentos. As demandas de saúde mental da Atenção Básica foram inicialmente mapeadas e o diagnóstico apontou problemas, como alto consumo de psicotrópicos e o isolamento entre os serviços de saúde mental e falta de investimento em educação permanente e continuada. Para enfrentá-los, a gestão propôs as seguintes ações: projeto piloto de Grupo de Uso Racional de Medicação (GURA); matriciamento da Atenção Básica pelo Grupo de Interconsulta Psiquiatra (GIP); instituição do Grupo Condutor Municipal de Saúde Mental; promoção de educação permanente para toda a Rede de Atenção Psicossocial. A reestruturação dessa rede mostrou que a qualificação, a articulação e a educação permanente são respostas promissoras para as questões de saúde em geral e particularmente de saúde mental.

“O uso de indicadores no monitoramento nos processos de assistência farmacêutica no município de São José do Rio Preto” –Na Assistência Farmacêutica os resultados esperados são a garantia de acesso e o uso racional de medicamentos. Conduzir os serviços de saúde para estes objetivos pressupõe a necessidade de se estabelecer rotinas para a diminuição do erro, do desperdício e dos problemas de acesso aos medicamentos, permitindo relacionar custos e benefício. Em Rio Preto, a gestão da Assistência Farmacêutica está pautada na identificação dos processos necessários ao alcance dos objetivos propostos e do acompanhamento destes por meio do monitoramento de indicadores. Esse monitoramento permitiu identificar as falhas no desenvolvimento dos processos e realizar as correções necessárias, sendo especialmente útil na avaliação da capacidade de gestão e na manutenção do foco no que foi planejado.

Fonte: Folha Regional