SETEMBRO AMARELO: A DOR SILENCIOSA

5votos

Suicídio é um fenômeno complexo que pode afetar indivíduos de todas as idades, classes sociais, gêneros e etnias. Os números registrados pelo Ministério da Saúde são alarmantes! No Brasil, o suicídio é a quarta maior causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos, e 23% dos suicídios notificados no País ocorrem na Região Sul.

Conforme pesquisa realizada em 2016 pelos profissionais, Abel Petter e Verena Augustin Hoch, o coeficiente de mortalidade por suicídio no Estado de Santa Catarina representa quase o dobro da média nacional, sendo que no Extremo Oeste os índices registrados são ainda mais expressivos/relevantes.

Cultura social da felicidade

O suicídio é resultado de um adoecimento mental grave, que repercute na vida das pessoas de forma profunda e irreversível. Há inúmeros fatores causadores, entre eles a cultura social da felicidade, onde não é permitida a demonstração de sofrimento ou tristeza, impondo ao indivíduo a sensação de incompreensão que pode levar ao agravamento do quadro.

O assunto passou a receber atenção significativa após o surgimento de jogos de incentivo a práticas de automutilação. Recorrente entre adolescentes em idade escolar, demonstra que a população jovem tem vivenciado profundo sofrimento psíquico, visto que, o ato de lesionar o próprio corpo indica que há questões emocionais de caráter insuportável ao indivíduo.

A Psicologia compreende a automutilação como uma estratégia para alívio da dor emocional, extravasamento de sentimentos como tristeza, ansiedade, tensão, vazio, bem como para distrair a atenção de sofrimentos profundos. No entanto, o alívio imediato alcançado através da autolesão tem repercussões negativas e é um sinal extremamente importante de que é preciso buscar ajuda imediatamente.

O suicídio é um tabu social, assim como tudo que é relacionado a ele. Apesar disso, o assunto deve ser considerado um problema de saúde pública, sendo necessário o desenvolvimento de ações de saúde mental e prevenção em todos os âmbitos. 

Procure ajuda

Se você tiver pensamentos sobre suicídio ou ações de automutilação, ou conhece alguém que esteja passando por isso, saiba que há formas de superar esse sofrimento. Procure ajuda!

Onde buscar ajuda: CAPS, Unidades Básicas de Saúde, Unidades de Pronto Atendimento, Emergências, Hospitais, CVV (disque 188 – ligação gratuita) bem como profissionais de saúde.