Título: Acadêmicos Médicos realizam Prevenção para Daltonismo em escolares da Rede Municipal de Edu

13 votos

Doenças oftalmológicas podem afetar a capacidade visual e até mesmo levar à perda total da visão. Especialistas afirmam que essas doenças podem ser diagnosticadas precocemente com visitas anuais ao oftalmologista e atenção aos sintomas.
Estudantes do Curso Médico da Universidade do Oeste Paulista, UNOESTE, Campus de Prudente, são inseridos em sete Estratégias Saúde da Família (ESFs), localizadas nos municípios de Presidente Prudente e Álvares Machado, como membros das Equipes Interdisciplinares das Unidades de Saúde.
Facilitadores utilizam Metodologias Ativas de Ensino Aprendizagem como a Problematização para criarem Planos de Ação relacionados às Necessidades de Saúde da Comunidade adscrita às ESFs.
Um dos Planos de Ação esteve voltado à prevenção de doenças oftalmológicas nos escolares da rede municipal de Ensino em Presidente Prudente.
Estudantes médicos, sob supervisão docente, realizaram testes de acuidade visual e para detecção precoce do Daltonismo nos escolares, por meio do Programa Saúde na Escola.
Após as ações desenvolvidas com os escolares, os Acadêmicos Médicos foram convidados a refletirem sobre as suas práticas desenvolvidas no Programa Saúde na Escola. Facilitadores consideraram que, dentre as principais doenças oftalmológicas existentes estão o daltonismo, o estrabismo, a catarata e o glaucoma. Estudantes entenderam que além da diminuição da acuidade visual, o Daltonismo pode atingir os escolares da Rede municipal de Educação, em Prudente, sendo facilmente diagnosticado.
Facilitadores consideraram que é comum que as pessoas se refiram aos portadores de daltonismo como aqueles que não conseguem diferenciar as cores. Esta afirmação é parcialmente correta, pois o daltonismo é uma denominação genérica para pessoas que têm alterações nas visões das cores. O nome correto da alteração visual é discromatopsia, doença hereditária, genética, ligada à transmissão do cromossomo x, ou seja, as mulheres transmitem, mas raramente apresentam a doença. Acadêmicos consideraram que existem vários tipos de discromatopsias ligadas às três cores básicas: vermelho, verde e azul. Entenderam que o daltônico clássico é aquele que tem o problema nos três pigmentos, atingindo uma parte muito pequena da população. O daltonismo atinge de 0,5% da população de mulheres e 5% da população de homens.
Facilitadores consideraram que a afecção não tem cura, nem tratamento, e é geralmente descoberta durante a idade escolar. A partir da detecção, a criança vai ao oftalmologista e são feitos alguns testes para comprovar a disfunção. Essa foi a ideia de inserir testes de detecção precoce do Daltonismo no Programa Saúde na Escola, em Presidente Prudente. Acadêmicos entenderam que a pessoa nasce e morre daltônica. Facilitadores consideraram, nas reflexões com os acadêmicos, que é preciso cuidado com escolares quem têm problemas para distinguir o verde do vermelho. Esses escolares são candidatos a futuros motoristas e vão ter uma grande dificuldade para distinguir os sinais de trânsito. Acadêmicos ressaltaram que o daltonismo não tem nenhuma relação com outras doenças oftalmológicas e não evolui.
Os participantes consideraram como positiva a ação de Promoção à Saúde, desenvolvida no território ligado à ESF Bela Vista, no Município de Presidente Prudente, SP.

Referências:

Conheça algumas das doenças que podem atingir a visão.
Disponível em:
https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://www.brasil.gov.br/noticias/saude/2014/10/conheca-algumas-das-doencas-que-podem-atingir-a-visao&ved=2ahUKEwili7mRq93iAhUQF7kGHQYbBewQFjASegQIBhAB&usg=AOvVaw0c-tF6gld-toH25XwdjxxS
Consulta em 08 06 2019, às 19h 10min.