Maternidade Evangelina Rosa conquista prêmios e destaques importantes

8votos

 (Imagem extraida do Portal da Saúde da SESAPI)

A Maternidade Evangelina Rosa (MDER) sediada em Teresina, reconhecida como referência no Piauí e em outros estados para atendimento obstétrico, é a maior do país em atendimentos exclusivamente pelo SUS. Em 2017 foram realizados cerca de nove mil partos, com uma média mensal de 700 atendimentos por mês.  Durante todo o ano passou por melhorias significativas, cumprindo e superando metas de trabalho, o que lhe rendeu a conquista de vários prêmios e destaque em nível nacional pelo trabalho de excelência que vem desenvolvendo à saúde da mulher.

Em 2014, a MDER implantou o Serviço de Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência Sexual (Samvvis), o qual já foi destaque numa importante emissora de TV do país, pelo trabalho diferenciado de acolhida e cuidado às vítimas de violência sexual. Em 2018, em parceria com o Ministério da Saúde, servirá como piloto para a criação de outros serviços de atendimentos às mulheres em outros Estados brasileiros.

O Banco de Leite Humano da MDER foi credenciado nacionalmente com  qualificação máxima da Rede Global  de Bancos de Leite Humano, na Categoria A, com Padrão Ouro – pelo segundo ano consecutivo. Outro destaque foi a conquista do segundo lugar na I Amostra de Experiências de Práticas bem Sucedidas em Segurança do Paciente do Estado do Piauí, um evento que tem como objetivo fortalecer a necessidade de cumprimento das metas de Segurança do Paciente e Controle das Infecções Relacionadas à Assistência (IRAS) como também promover troca de experiências entre as unidades de saúde envolvidas.

Outra conquista importante é a criação dos primeiros leitos estruturados da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) do Estado. O serviço contempla pessoas com sofrimento mental e com necessidades de saúde como, por exemplo, os usuários de álcool, crack e outras drogas, que serão acolhidos por uma equipe multiprofissional que oferecerá atenção qualificada e humanizada.

Para 2018, a projeção é de mais mudanças. De acordo com o diretor geral da Instituição, médico Francisco Macêdo uma meta importante para o ano que se inicia é a reforma e ampliação da Maternidade. A unidade vai contar com cerca de 50 leitos a mais, entre UTI neonatal e obstétrica, tendo entre outros objetivos reduzir a mortalidade materna e infantil no Estado. “Todas essas mudanças estruturais a serem realizadas na Instituição fazem parte de um processo de transição, a ser realizado em paralelo às obras de construção do Centro Materno Infantil, que já foram iniciadas.”

As informações foram extraídas de uma matéria publicada pela Assessoria de Comunicação no portal da Saúde/SESAPI.