A Rede HumanizaSUS em números!

18votos

Os participantes mais antigos desta rede colaborativa já conhecem este mapa do Brasil e sabem que ele representa a distribuição geográfica dos acessos à RHS, e costuma encabeçar um post em que eu apresento alguns dados que nos permitam ter uma idéia da extensão que ela vem alcançando…

Para os que participam a menos tempo, é possível visitar alguns destes posts mais antigos que falam das origens e de alguns momentos significativos na evolução e no crescimento da RHS. Para facilitar, fiz uma pequena seleção que pode ser acessada através dos links abaixo:

Sobre os primeiros passos desta Rede (26/02/2008 – 4 dias de RHS!)

Seis meses de RHS! (21/08/2008)

Voltando às origens… (27/10/2008)

RHS: há uma ano aumentando nossa potência coletiva de fazer um SUS que dá certo! (12/03/2009)

Além disso, há algumas estatísticas básicas de nossa Rede que podem ser continuamente acompanhadas através da página de estatísticas (link no menu lateral esquerdo). Foi através dela, há poucos dias, que o Erasmo observou que atingimos recentemente a marca de 4000 usuários cadastrados. Nela podemos descobrir também que já foram publicados mais de 1200 posts e mais de 4000 comentários aos posts. Foi motivado por esta observação do Erasmo que pensei que já estava na hora de compartilhar um conjunto mais amplo de números sobre a nossa Rede, para que a gente dimensione um pouco melhor o que ela vem representando.

Então, vamos lá!

A RHS foi lançada em 22 de fevereiro de 2008, mas vem sendo monitorada (pelo Google™ Analytics) desde 1º de junho de 2008. Assim, apresentarei os dados acumulados de 01/06/2008 a 19/08/2009, isto é, sua atividade nos últimos 445 dias.

Para que este post não fique longo demais, vou evitar análises extensivas dos dados apresentados, concentrando-me em expô-los da maneira mais clara possível, destacando apenas alguns aspectos relevantes para que possam ser bem compreendidos. Deixo as análises para cada um e poderemos discuti-las, se for de interesse, nos comentários ao post, ok?

O mapa acima foi gerado para este período e nos informa, graficamente, uma certa distribuição geográfica dos acessos e que a RHS já foi acessada a partir de 354 cidades brasileiras.

Alguns dados gerais:

Ou seja, desde que iniciamos o monitoramento da atividade da RHS já recebemos quase 180 mil visitas de cerca de 126 mil pessoas diferentes. Foram mais de meio milhão de páginas visualizadas ou, como costumo dizer, estamos nos aproximando de 600 mil "encontros assincrônicos" realizados por aqui…

São números que continuam bem acima do "benchmark" (comparação com sites do mesmo porte), mas houve mudanças significativas em relação aos nossos próprios números de seis meses atrás: O percentual de novas visitas aumentou significativamente (~70%) e, junto com isso, como é de se esperar, a taxa de rejeição (pessoas que entram uma única vez: ~60%). Esse fato também vem puxando para baixo o número médio de páginas visitadas (3,3) e o tempo médio de permanência no site (quase 4 min.). Isto provavelmente significa que um número cada vez maior de pessoas vem tomando conhecimento da RHS, que ela vem aparecendo cada vez mais como resultado de buscas na web (75% das fontes de tráfego têm sido os sites de busca e apenas 10% é por tráfego direto, isto é, por usuários que escrevem o endereço da RHS no seu navegador; nos primeiros meses de existência da RHS esta relação era exatamente inversa!). A conclusão é óbvia: a RHS tem se tornado, cada vez mais, um site de referência na web para os temas que costumamos tratar. Com isso, nossa visibilidade tende a aumentar muito, mas receberemos, cada vez mais, visitantes que passarão por aqui apenas uma ou poucas vezes. É claro que, neste afluxo, muitos poderão encontrar aqui a sua comunidade e isso, sem que tenham tomado conhecimento da Rede por amigos próximos. Mesmo com essa mudança no comportamento de tráfego na nossa Rede, o tempo de permanência no site (dado importante sobre o tipo de relação que seus usuários costumam estabelecer com seus conteúdos) permanece significativamente acima da média de sites similares!

Para completar este panorama geral da nossa Rede, mais dois gráficos que permitem visualizar com clareza seu padrão de atividade e de crescimento ao longo do tempo:

O número de visitas diárias de 01/06/2008 a 19/08/2009:

(clique no gráfico acima para vê-lo ampliado)

 

O número de visitantes diários de 01/06/2008 a 19/08/2009:

Como já sabíamos, a RHS é uma "rede de trabalho". Trabalho cognitivo e afetivo, é claro, mas seguindo o padrão rítmico do trabalho formal, reduzindo sua atividade nos finais de semana, feriados e períodos de férias. Sua atividade também permanece muito sensível aos eventos relacionados à Política Nacional de Humanização, como se pode observar em alguns "picos" assinalados nos gráficos acima.

Por fim, observa-se que a RHS permanece seguindo seu padrão de crescimento contínuo da atividade. Tomando como parâmetro o número de visitas diárias, temos que, no segundo semestre de 2008, este número flutuou em torno de 300 visitas diárias. Em novembro de 2008, este número saltou para o patamar de 500 visitas diárias. Entre dezembro de 2008 e o Carnaval de 2009, seguindo a "tradição nacional", o número recuou um pouco, mas em março de 2009 pudemos observar que 500-600 visitas diárias era mesmo o novo patamar conquistado pela nossa Rede. No início de maio de 2009, novo salto significativo e atingimos o que tem sido o nosso padrão atual: 900-1000 visitas por dia.

Isso significa que recebemos, por mês, cerca de 20000 visitas  de umas 15000 pessoas diferentes. Não é pouca coisa…

Bem, acho que isso já dá uma boa idéia do que temos produzido e representado no universo da web brasileira. E ainda sabemos muito mais coisas sobre o que criamos e produzimos por aqui, que não se expressam apenas nos números, não é mesmo?

Com certeza, estamos vivenciando a maior e mais intensa experiência de rede colaborativa da saúde pública brasileira (e, talvez, mundial; pelo menos, ainda não tomei conhecimento de nenhuma experiência similar) e, dessa forma, estamos ajudando a construir um capítulo importante e extremamente inovador da história do SUS. Uma fascinante experimentação coletiva de novos modos de fazer política pública em nosso país…

Confesso que viajo nessa "vertigem visionária que não carece de seguidor"… E vocês?