O desafio de estimular estudantes médicos a valorizarem os usuários, trabalhadores e gestores.

11 votos

O Programa de Aproximação Progressiva à Prática, da Faculdade de Medicina da Universidade do OESTE PAULISTA (PAPP/FAMEPP/UNOESTE)noCampus de Presidente Prudente, insere os estudantes da   Graduação em Medicina, desde o primeiro termo, em cinco Estratégias Saúde da Família (ESFs), em dois municípios, localizados na Região da Alta Sorocabana, no oeste Paulista. Os Facilitadores do PAPP utilizam Metodologias Ativas de Ensino e Aprendizagem como a Problematização e a PBL (Problem Based Learning) com foco na valorização dos usuários do SUS. Os Professores envolvem os estudantes em ações cotidianas, realizadas nas ESFs, a partir de tarefas desenvolvidas no Currículo por Competências, com foco na Atenção Individual, Coletiva, nos Processos de Trabalho e Educação em Saúde. Os Acadêmicos são considerados como “membros das Equipes Interprofissionais”, nas ESFs. Os demais membros das equipes são sensibilizados, previamente, para acolherem os futuros profissionais de saúde, que participam das Reuniões de Equipe e das Rodas de Conversa, colocando em prática a Política Pública da Educação Permanente (EPs). Em uma das EPs, a Facilitadora estimulou um pequeno grupo de estudantes do termo 5, a conversarem com a Equipe da ESF sobre valorização do Usuário do SUS. Acadêmicos explicaram para a equipe, na EP, que valorizar a pessoa que está sendo assistida é oportunizar uma maior autonomia para ela, promovendo uma ampliação da sua capacidade de transformar a realidade na qual está inserida, na Comunidade. Esse novo modo de olhar para o usuário do SUS e de estimular que a pessoa atendida olhe pra si mesma, implica em um incremento na responsabilidade do cliente com a sua saúde, realizado de maneira compartilhada. Os acadêmicos falaram, na EP, sobre a criação de vínculos solidários e sobre a participação coletiva nos processos de gestão e de produção de saúde. Explicaram para a equipe, na Roda de Conversa que valorizar o usuário SUS implica em ouvi-lo mais vezes, dando qualidade para essa escuta qualificada, produzindo mudanças nos modos de gerir e cuidar.   Facilitadores explicaram também que a Política Nacional de Humanização (PNH) estimula a comunicação entre gestores, trabalhadores e usuários com a finalidade de construir processos coletivos de enfrentamento de relações de poder, trabalho e afeto que podem vir a produzir atitudes e práticas desumanizadoras. Essas práticas podem inibir a autonomia e a corresponsabilidade dos profissionais de saúde no seu trabalho e, também dos usuários, no cuidado com eles próprios. A médica da ESF explicou que a PNH está vinculada à Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, e conta com equipes regionais de apoiadores que se articulam às secretarias estaduais e municipais de saúde, para promoverem ações de Humanização nos municípios. A equipe da ESF, no momento de avaliação, ao final da EP, concluiu que a partir dos planejamentos realizados nas Rodas de Conversa, relacionadas à PNH, e de reuniões com a Comunidade local, poderão ser construídos, de forma compartilhada, planos de ação para promover e disseminar a humanização em saúde. A Facilitadora sugeriu que fosse feita uma análise dos problemas e dificuldades no serviço de saúde, tomando por referência experiências bem-sucedidas de humanização, capturadas na internet e divulgadas na Rede HumanizaSUS, por exemplo, em todo o país. Estudantes refletiram que existe um SUS que dá certo. É desse SUS que partem as orientações da PNH. Acadêmicos também refletiram sobre a necessidade de incluir trabalhadores da Saúde na gestão, de forma que eles reinventem seus processos de trabalho, tornando-se agentes ativos das mudanças no serviço de saúde. A Facilitadora complementou dizendo que incluir usuários e suas redes sócio-familiares nos processos de cuidado seria um poderoso recurso para a ampliação da corresponsabilização no cuidado desses usuários e de seus familiares.

Referências:
Política Nacional de Humanização. BVS. Disponível https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_humanizacao_pnh_folheto.pdf&ved=2ahUKEwjZnrTb0efvAhX3GbkGHcYnBT0QFjAAegQIAxAC&usg=AOvVaw04zU8E3g_tsFlo5pSvPqkT.
Acesso em 07 de abril 2021.