Pé Torto Congênito: A importância do Diagnóstico e Tratamento precoce na Atenção Primária

22 votos

O pé torto congênito idiopático é uma importante deformidade em membros inferiores do RN que consiste em mau alinhamento complexo do pé que envolve partes moles e ósseas e caracteriza-se pelo equino e varo do retropé, cavo e adução do médio e antepé.  É importante identificar as limitações que o pé torto congênito pode causar na vida de uma criança, além de conhecer os problemas vivenciados por estas crianças e suas famílias, pois se faz necessário o acompanhamento diário em fisioterapia e em consultas médicas.

Sendo assim, após diagnóstico no nascimento é necessário acompanhamento com ortopedista pediátrico para iniciar o tratamento. Sendo o Método de Ponseti o mais difundido, e pode ser iniciado precocemente, nos primeiros dias de vida, e tem como princípio, a realização de manipulações e trocas gessadas seriadas com técnica específica para correção sequencial das deformidades.

Em acompanhamento da Residência MFC na ESF em Presidente Prudente- SP, pude acompanhar a luta diária de uma mãe e um pai com o filho que possui o Pé Torto Congênito, atualmente com 8 meses, já em uso de órtese, após 5 trocas de gesso, refletindo a importância do diagnóstico feito ao nascimento e a constante evolução do tratamento com o acompanhamento correto multidisciplinar, com o Dr. Marcel na ESF, o Dr. Vitor, ortopedista e a equipe de fisioterapia e se necessário fosse o acompanhamento psicológico para os familiares.

Após as trocas dos gessos, vimos que melhorou muito a angulação dos membros, ainda sendo necessário o uso de órteses para evoluir a correção junto com o desenvolvimento da criança.

Ainda será necessária a cirurgia de Tenotomia dos Tendões do pé esquerdo, que será a manipulação do tendão para aumentar a flexibilidade do pé, mas podemos ver o quanto esses tratamentos precoces foram importantes para que esse paciente consiga se manter em pé com a ajuda de fisioterapia e ter uma qualidade de vida, que talvez não seja possível para os que infelizmente não tem a oportunidade do tratamento precoce.

Com isso, reforço sobre o correto atendimento da Puericultura, o acompanhamento do paciente desde seu nascimento com muita atenção, pois existem doenças que podem ter um bom prognóstico se tratadas de forma precoce. E além disso, a importância do atendimento multiprofissional com bom vínculo familiar.

1ª aplicação do Gesso

Após a 3ª troca de gesso

Em uso da órtese

 

Foto atual

 

Bibliografia: https://doi.org/10.1590/S1413-78522011000300010

Fotos autorizadas pela mãe.