REFLEXÕES SOBRE HUMANIZAÇÃO EM SAÚDE COM AS EQUIPES DE ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO

7 votos

Para finalizar a disciplina de Humanização e Formação em Saúde do Mestrado Profissional Ensino na Saúde da Universidade Federal de Alagoas foi elaborada uma proposta de intervenção em uma Unidade Básica de Saúde de um município do Estado de Alagoas. O trabalho teve como objetivo abordar temáticas acerca da humanização em saúde com foco nos profissionais de saúde bucal e seus gestores locais, a fim de fomentar espaços de diálogo e estimular práticas de atenção compartilhadas. A disciplina foi ministrada pelo Prof. Dr. Sérgio Aragaki e teve como convidada a Profa. Me. Camila Moura. Já o trabalho foi realizado pelas discentes: Cinthya Luna, Danila Alves e Eline Zacarias.

Antes de se fazer humanização em saúde, deve-se conhecer e discutir mais sobre o assunto, principalmente os profissionais de saúde e seus gestores, pois de acordo com Zugë (2012) é preciso que esses trabalhadores saibam qual o seu papel no processo de humanização, para então obterem êxito na prestação de serviços em saúde com qualidade.

Em 2004, com a reorganização da atenção à saúde bucal em todos os níveis do SUS, foram publicadas as Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal (PNSB), do Programa Brasil Sorridente. Surge, portanto, uma nova adequação do trabalho em saúde odontológica, agora com a atuação da interdisciplinaridade e do multiprofissionalismo (SCHERER et al.,2018).

Apesar de haver essas recentes contribuições na inovação de práticas humanizadas em saúde bucal, o que se observa com frequência é a presença de modelos tradicionais de atendimento ao público e de gestão centralizada, além de profissionais da saúde que pouco conhecem sobre a PNH e tampouco sobre a Rede HumanizaSus.

Já que a Humanização da Saúde vem sendo objeto de várias discussões nos últimos anos, mesmo em lentos passos o seu conhecimento mais aprofundado tem feito a diferença nos serviços que a discutem e a implementam. É de fundamental importância que os profissionais e gestores conheçam a humanização como um pré-requisito basilar para a atuação na assistência à saúde e para a inovação de práticas de atenção e de gestão em seus setores de trabalho.

Em uma das reuniões rotineiras no calendário dos profissionais de saúde bucal e os seus gestores locais, foi possível colocar em prática a primeira parte da proposta de intervenção: o tema da humanização foi contextualizado com os presentes na reunião, bem como foram repassadas as etapas com base no quadro de ações. Em seguida abriu-se espaço para que os envolvidos pudessem expressar-se sobre o que havia sido pontuado, inclusive possíveis sugestões.

O primeiro passo foi lançado e a colaboração de todos é que fará a diferença no resultado dessas ações, para gerar a satisfação tanto das equipes de trabalho, que se sentirão mais valorizadas, quanto dos usuários de saúde, que receberão atendimento qualificado como preconiza o SUS.

 

 

REFERÊNCIAS

 

SCHERER, C. I. et al. O trabalho em saúde bucal na Estratégia Saúde da Família: uma difícil integração? Saúde Debate. Rio de Janeiro, v. 42, número especial 2, p. 233-246, outubro, 2018.

Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-11042018000600233&script=sci_arttext Acesso em 18 de abril de 2021.

ZÜGE, E.. A humanização nos serviços de saúde. 2012. p. 38. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012. Disponível em: 000870275.pdf (ufrgs.br) Acesso em 22 de abril de 2021.